quinta-feira, 25 de maio de 2017

SONHOS


Sonhos...
Não sonhos de amor:
eu, minha amada e o gozo
enroscados em um só.

Mas sonhos estranhos,
pesadelos
em que vingam a solidão e a dor,
e o chão, daquela que seria
minha casa ou prisão,
todo apinhado de meninos mortos.1



1 Obrigado, Quintana!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

CANTA PARA MIM, LIA


Canta para mim, Lia
as canções que só tu
e vó Lídia sabiam cantar,
que esta vida está
que é uma dor só.

O amor vai devagar,
enquanto os anos correm
a olhos vistos,
trazendo o desespero,
além, é claro, do reumatismo.

Medo tenho de que a solidão,
minha fiel companheira,
seja minha última paixão.

O corpo já não me obedece
as ordens sem reclamar,
o sexo que antes era prazer
hoje me traz pesadelos
e noites de insônia.

A poesia
(que seria a minha vida sem ela, Alberto?)
ainda me ocorre de momentos em momentos,
e é quase sempre feita de lembranças,
de reclamos, de detalhes, do que um dia fui.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

SAUDADES


Com certeza morrerei sem nunca mais rever
Silvana Spreafico,
como amei essa mulher.

Saudades do amor.

Tristeza por ser findo aquele tempo tão maravilhoso.

Com mais certeza ainda, morrerei
sem nunca rever o meu amigo André,
amigo de ginásio,
amigo que me acompanhava em minha tímida solidão
nas horas do recreio no Imaculado Coração de Maria.

Saudades da amizade.

Felicidade por ser findo aquele tempo tão cruel.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

É-ME IMPOSSÍVEL AMAR A UMA MULHER APENAS

                                                                                             
É-me impossível amar a uma mulher apenas.

Por acaso amas a um único dos teus filhos
ou dos teus amigos?

Amas apenas o teu pai em detrimento de tua mãe?

Amas a tua mão esquerda e desprezas a direita?

E dos poemas de Manuel Bandeira, Mario Quintana e
Alberto da Cunha Melo, amas apenas a um ou a vários?

É-me impossível amar apenas a uma mulher.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

POEMA DA QUASE PERFEIÇÃO


Se não mijássemos,
se não cagássemos,
se não peidássemos,
se não fedêssemos,
se não apodrecêssemos,
se não guerreássemos,
se não mentíssemos,
se não traíssemos,
se não mutilássemos
se não roubássemos,
se não fingíssemos,
se não fenecêssemos...
Que serezinhos arrogantes seríamos.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

SOLIDÃO


Aquela figura que avisto à rua da janela
é ela?
Ou apenas a vontade de que ela exista?

quinta-feira, 13 de abril de 2017

O QUE MAIS DESEJO HOJE EM VIDA


O que mais desejo hoje em vida
é a morte.

Anseio pelo dia de minha morte
como o homem anseia o poder.

 de imaginá-la, chego a sentir um regozijo
igual ao gozo final quando faço sexo.

A morte em toda a sua plenitude.

O sono eterno sem a existência da manhã,
do nascer do sol, do relógio, da dor,
do medo, do amor, da fome.

Uma noite eternamente linda.

Não! Não posso conceber que haja
outra vida após a morte.

Uma única apenas  me é insuportável!

A morte, o nada em sua mais pura essência!
Tão bela quanto uma mulher nua,
(imagino a beleza despida de Belinda!)
a morte, o nada sacrilegicamente sem poesia!